Skip to main content

Por que todos nós deveríamos estar investindo em Design

 

A recessão econômica que ocorre durante os últimos anos colocou as organizações sob uma pressão crescente para diferenciar suas ofertas.
A escassez de recursos leva as empresas a proceder ao valor do que elas fazem ao invés do que elas têm. A recomposição global dos salários, da mesma forma tem diminuído significativamente as capacidades das empresas para competir em preço. Um número crescente de empresas começou a usar o design para diferenciar-se da concorrência. Design não é apenas para as empresas que produzem produtos e serviços Premium. Diz respeito a qualquer organização que deseja se destacar da concorrência e é, portanto, importante em qualquer setor.

Design agrega valor

Uma pesquisa realizada pela Warwick Business School , em nome do Design Council  (UK) mostra que as empresas que investem em design, agregam valor por:

Promover a inovação e abrindo espaços de mercado inexplorados;
Diferenciar os produtos e serviços para atrair clientes;
Reforço da marca, incorporando valores de uma empresa e melhorar o seu reconhecimento.
Segundo a pesquisa mencionada, entre os vários benefícios qualitativos e quantitativos de design, os líderes empresariais têm incluído: crescimento das vendas aumenta de quota de mercado, redução de custos e maior eficiência na produção. As empresas orientadas a serviços alcançaram maior consistência nas carteiras de suas marcas, o tempo mais rápido ao mercado, e lançamentos de produtos mais bem sucedidos. Os benefícios para uma marca quando investem em design são frequentemente não financeiros, mas de vital importância para as marcas em longo prazo – trazendo maior reconhecimento da marca, maior satisfação e apoio do cliente, maior consistência na saída do produto ou serviço, e redução nas taxas de falhas de projeto.

O design é um investimento estratégico, não uma despesa.

É comum que o objetivo de todas as empresas é um alto desempenho, o que significa altos níveis de rentabilidade.  A taxa de rentabilidade mais comum é a medida ROI (retorno sobre investimento).

O investimento consistente em design é altamente rentável, mesmo em longo prazo.
A diferença de rentabilidade entre as empresas que investiram em design e aquelas que não investiram, é de 50 por cento ou mais, de acordo com uma pesquisa realizada pela Teknikföretagen, uma organização de empresas de engenharia Sueca.

Além disso, estudos da Dinamarca e em outros países indicam que as empresas que fazem uso do design têm melhor desempenho do que aquelas que não o fazem – tanto em termos de receitas e exportações. O design é mais aplicado nos processos de desenvolvimento e inovação do negócio, o maior impacto acontece no crescimento do lucro bruto e na capacidade de exportação.

A pesquisa do Design Council identificou um paradoxo, embora: Quanto maior a exigência de projeto para provar sua contribuição através de análise financeira detalhada, com a tomada de uma abordagem mais conservadora do design – resultando em menor impacto no desempenho. Em outras palavras, quando o design é usado como um meio para aumentar a renda no curto prazo, o contexto em que o design opera é limitado e, portanto, o seu impacto é menor.

Aplicando design e maximizando o seu impacto

Ao analisar os resultados da pesquisa, verifica-se que existem algumas recomendações fundamentais sobre como maximizar o impacto do design, que pode ser aplicado em todos os setores das empresas e em empresas de todos os tamanhos:

1. Usar o design para diferenciar: Design é um diferencial poderoso se usado principalmente como um meio para resolver os problemas dos clientes. Um elemento principal do pensamento de projeto é simplesmente pensar e idealizar uma solução para resolver um problema, ou melhor, atender uma necessidade do cliente, ao invés de analisar o que atualmente está sendo oferecido pelos concorrentes.

2. Integrar Design e Branding: Ao explorar novas opções, ideias e cenários, o denominador comum devem ser os conceitos e atributos da marca. Design Thinking é o catalisador da construção e desenvolvimento de uma marca bem sucedida. O Design deve ser incorporado e reforçando a marca, utilizando uma linguagem que seja consistente com isso.

3. Confie talento do seu Designer: Projetos de sucesso e inovação muitas vezes exigem tomada de decisões corajosas. Confiança, dentro das relações entre a gestão e design ou empresário e agência de design, é, portanto, fundamental. Essa confiança pode derivar de crença da administração que o design e a inovação podem fazer uma diferença positiva e para o diretor de design influenciando esforços tanto interna como externamente. Ao contratar uma agência de design para a empresa, a confiança deriva do portfólio da agência e experiência comprovada. Designers não são mais especialistas simplesmente técnicos com especialização funcional. Para o projeto estratégico para o trabalho, a eles têm que ser dada a oportunidade de participar de equipes multifuncionais e agir como influenciadores que defendem projeto (interna e externamente).

Para resumir, o Design é hoje em dia esta intimamente ligado a agendas de negócios. Já não é mais a cereja no bolo para produtos high-end ou marcas de luxo. Na última década, o Design ganhou relevância na forma que as organizações são estruturadas e como elas operam.

Há evidências consideráveis para a ação do Design como um catalisador para o crescimento empresarial e da inovação; há mais do que suficiente exemplos de empresas em diferentes indústrias, como a Diageo, Virgin Atlantic, O2, e Innocent Drinks.

Não está convencido ainda, caro empreendedor?

Texto traduzido da Brandingmagazine
Fonte: www.brandingmagazine.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

admin

Claudio Lopes Barbosa Graduado e m Desenho Industrial, com habilitação em Comunicação Visual, pela Faculdade da Cidade (Sociedade Educacional da Cidade), na cidade do Rio de Janeiro. Diretor de Arte, designer gráfico, com mais de 20 anos de experiência na área.